Implantodontia em Belo Horizonte: quais os benefícios para a saúde?

Tempo de leitura: 7 minutos

Perder um ou mais dentes traz prejuízos à saúde bucal e também à autoestima. A boa notícia é que a odontologia oferece tratamentos inovadores para recuperar o sorriso e a funcionalidade da mastigação, prevenindo problemas como a disfunção da articulação temporomandibular (ATM), cáries, sensibilidade, entre outros.

Além das populares dentaduras e pontes, há uma opção com excelentes resultados estéticos, chegando muito próximos aos dentes naturais em beleza e saúde. Estamos falando da implantodontia.

Neste artigo, você encontra informações sobre essa técnica, como é feita e suas indicações. Trazemos, ainda, uma lista com 5 vantagens do tratamento de implantes. Boa leitura!

O que é implantodontia?

A implantodontia é a área da odontologia especializada em implantes — próteses que substituem dentes perdidos. No implante dentário, um pino de titânio, semelhante a um parafuso, é fixado na mandíbula ou no maxilar, cumprindo a função da raiz do dente. Sobre essa base é colocado o dente artificial, feito em resina ou outro material.

Como o titânio é um material imunologicamente inerte, os riscos de reação do organismo e rejeição do tratamento são muito baixos, sendo uma opção de longa duração para corrigir uma ou mais perdas dentárias.

Como é feito o tratamento de implantodontia?

Ao todo, o tratamento de implante passa por quatro etapas: avaliação, cirurgia, colocação da prótese sobre o pino de titânio e pós-operatório.

Avaliação

Nessa primeira etapa, o dentista faz o planejamento do procedimento de implante, avaliando o estado geral da saúde bucal e corrigindo, antes de iniciar o tratamento, possíveis problemas bucais, como gengivite, cárie ou doença periodontal.

É nessa fase que são definidos o número de implantes que serão colocados, o modelo de prótese a ser utilizada, a necessidade de fazer um enxerto ósseo para fixar o pino de titânio (esse procedimento é necessário se não houver tecido ósseo suficiente para segurar a peça que receberá o dente artificial), entre outras questões.

Quando é preciso fazer um enxerto ósseo, a cirurgia de implante é adiada por alguns meses — geralmente, entre 3 e 6 — para que o organismo absorva o tecido implantado e esteja em condições para receber o implante dentário. O tempo necessário de espera é definido pelo dentista, de acordo com a resposta do organismo ao enxerto.

Cirurgia

A cirurgia de implantodontia é relativamente simples e, na maioria dos casos, é usada apenas anestesia local para fazer o procedimento. Em pacientes mais ansiosos, com dificuldades para passarem por tratamentos odontológicos ou no caso de cirurgias muito extensas, pode ser feita a sedação com uso de gás de óxido nitroso ou por via endovenosa.

O procedimento cirúrgico é realizado para a colocação dos pinos de titânio — eles são parafusados no osso da mandíbula ou do maxilar. Quando é preciso fazer a extração de dentes para a colocação do implante, esse procedimento pode ser feito no mesmo dia da fixação dos pinos.

Implante ósseo integrado

O implante ósseo integrado tem sido o mais recomendado pelos dentistas, devido aos excelentes resultados obtidos tanto em implantes parciais quanto em implantes totais. É um procedimento mais demorado, pois a cirurgia é feita em duas etapas: a primeira para a fixação dos pinos no osso e a segunda para ligar o implante ao meio bucal, por meio da remoção da gengiva que cresce em torno da peça.

Entre uma cirurgia e outra, é preciso aguardar de 4 a 6 meses, para que haja uma completa integração do implante à mandíbula e/ou maxilar. Nesse período de espera, é possível usar próteses provisórias.

Colocação da prótese

Há dois tipos de dentes artificiais que podem ser colocados sobre o implante:

  • a prótese protocolo, feita em resina ou porcelana, tem ótimo efeito estético e é usada em casos de prótese total implantosuportada e implantoretida;

  • e a prótese overdenture, com custo menor que a anterior, feita em resina, sendo parecida com a dentadura (porém, é mais estável e confortável, podendo ser retirada pelo paciente para fazer a limpeza).

Cuidados pós-cirúrgicos

A recuperação após a colocação de implantes é rápida e normalmente bem tranquila. A recomendação é fazer um acompanhamento por radiografia todos os anos, para conferir a estabilidade da peça — o que pode ser feito nas consultas de rotina para limpeza e avaliação da saúde bucal.

Embora muito resistentes, as próteses são mais frágeis que os dentes naturais, por isso, deve-se evitar partir alimentos muito duros com os dentes artificiais.

Os cuidados com a higiene são os mesmos, não só para preservar a saúde bucal, como também para ampliar a durabilidade das peças. Com a escovação bem-feita e o uso de fio dental, os implantes duram toda a vida, em 95% dos casos.

Quais são os benefícios da implantodontia?

Abaixo, listamos 5 vantagens do tratamento de implante.

1. Redução de perda óssea e conservação da jovialidade

Ao redor da raiz dos dentes, há uma estrutura chamada tecido ósseo alveolar, que tem a função de firmar as raízes e protegê-las de doenças gengivais e cáries. Com a perda de um dente, esse tecido é gradativamente reabsorvido pelo organismo até desaparecer por completo, o que provoca um efeito de enrugamento dos lábios e, por consequência, envelhecimento da face.

Quando o dente perdido é substituído por um implante, o tecido ósseo alveolar é preservado, mantendo a jovialidade da boca. Alguns tipos de próteses — como dentaduras, pontes e roach — podem acelerar a perda desse tecido, quando não estão corretamente ajustadas.

2. Melhora da autoestima

Os implantes são muito similares aos dentes naturais, garantindo um efeito estético muito positivo, devolvendo a autoestima e o prazer de sorrir.

3. Suporte a outras próteses

Diferentemente de outras próteses, para colocar o implante não é necessário desgastar os dentes vizinhos (preservando melhor a saúde deles). Além disso, como os pinos funcionam como raízes, os implantes podem servir de suporte para outros modelos de prótese, como as pontes, quando são feitos os dois tipos de tratamento.

4. Previne a movimentação inadequada da arcada dentária

Quando há um dente faltando, os demais tendem a se movimentar para ocupar o espaço do ausente, provocando um desalinhamento da arcada dentária — o que pode resultar em diferentes problemas de saúde bucal, como dentes tortos, espaçados, má oclusão e até dores no maxilar, cabeça e pescoço devido à disfunção da mastigação.

Com o implante, se preserva o alinhamento dos demais dentes e a anatomia da boca, já que a prótese substitui perfeitamente o dente natural, em espaço e funcionalidade.

5. Prevenção da sensibilidade

Cada dente tem seu par correspondente com o qual trabalhar harmoniosamente no abrir e fechar a boca. Quando há a falta de um dente, seu par fica sem apoio, absorvendo sozinho a pressão da mastigação.

Quando o dente faltante é na arcada inferior, seu par superior fica pendurado. Com o tempo, esse dente desce em busca de um apoio, deixando sua raiz exposta, sujeita à sensibilidade ao contato com determinados alimentos e bebidas, além de cáries e outras doenças. Ao fazer um implante, você previne todos esses problemas, substituindo o dente natural.

A implantodontia representa um grande avanço da odontologia no tratamento à perda de dentes. As inovações na área permitem que os dentistas aprimorem as técnicas, oferecendo tratamentos menos invasivos e cada vez mais próximos dos dentes naturais, sendo um excelente investimento em saúde e estética bucal.

Gostou do nosso artigo? Quer receber mais conteúdos sobre saúde bucal? Então, assine nossa newsletter e receba nosso material em seu e-mail, sempre atualizado!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *