4 novidades para implantes dentários que você precisa saber

Tempo de leitura: 4 minutos

Os implantes dentários proporcionam um sorriso perfeito para pessoas que perderam um ou mais dentes. Não é exagero dizer que transformam a vida de muita gente, trazendo qualidade de vida e aumento da autoestima.

Para trazer ainda mais eficácia nos resultados desses tratamentos, as pesquisas nessa área não param: são técnicas para diminuir o tempo do procedimento e para uma reabilitação mais rápida dos pacientes, além de desenvolvimento de materiais com mais qualidade.

Neste artigo, vamos mostrar quatro novidades referentes a essa especialidade odontológica. Acompanhe!

Entenda o que é o implante dentário

A ausência de um ou mais dentes afeta diretamente a estética e saúde do paciente: dificulta a mastigação e, consequentemente, a digestão adequada dos alimentos, além de interferir na fala e até na respiração.

Afetam também o lado psicológico: as pessoas ficam com vergonha de sorrir, falar e até de comer em público.

Para solucionar esses casos, existe o implante dentário, um dispositivo composto por duas peças: um pino, geralmente de titânio, que funciona como a raiz do dente, e a coroa, que é o dente artificial e vai por cima desse pino.

Os implantes dentários são estáveis e, por isso, trazem conforto e bem-estar aos pacientes.

Conheça novas técnicas e materiais

As pesquisas envolvendo a implantodontia buscam desenvolver novos materiais e técnicas a fim de trazer mais qualidade para o tratamento. Confira, abaixo, quatro novidades:

1. Carga imediata

O tratamento para a colocação do implante é dividido em etapas. A primeira é a cirurgia para a colocação do implante (pino) abaixo da gengiva. Para a colocação da coroa, deve-se esperar de 3 a 6 meses para que ocorra o processo de osseointegração (quando o implante fica integrado ao osso).

Porém, uma opção que traz mais praticidade e rapidez para o procedimento é a chamada carga imediata ou carga rápida. Permite a colocação da coroa após a cirurgia do implante, garantindo um conforto maior ao paciente.

Essa técnica tem indicações específicas e somente o dentista poderá avaliar em quais casos ela pode ser utilizada.

Pode ser uma solução adequada, por exemplo, para a colocação de um implante para substituir um dente anterior, conseguindo corrigir com rapidez uma situação estética.

2. Implante de zircônia

O titânio é o material mais utilizado no implante dentário, por sua alta resistência, leveza e por ser biocompatível, quer dizer, o corpo não rejeita.

Porém, descobriu-se que a zircônia é também uma excelente opção para o implante dentário por apresentar uma excelente biocompatibilidade e por ser um material cerâmico. Assim, consegue aderir melhor à gengiva e ao osso.

3. Implantes curtos

Pesquisadores da Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto, da Universidade de São Paulo (USP), patentearam um composto de mini-implantes. Sua eficiência é maior por conta do tamanho (2 milímetros) e design inovador (formato autoperfurante).

Com eles, a quantidade de dispositivos para a instalação do implante é menor, por isso o procedimento é mais rápido, menos invasivo e provoca danos menores nos tecidos da boca para sua colocação. Ademais, em muitos casos, evitam até a etapa do enxerto ósseo.

4. Biovidro para enxertos

Pesquisa do Departamento de Química da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) produziu um material de biovidro, formado por sílica, fósforo e cálcio, que consegue fazer a regeneração óssea. Isso porque, ao entrar em contato com o tecido humano, tem a capacidade de se transformar em osso.

Dessa forma, o biomaterial pode substituir o enxerto ósseo, etapa necessária em muitos casos antes da colocação do implante dentário para garantir sustentação adequada do osso.

Nesse material é possível, ainda, combinar fármacos, como anti-inflamatórios, favorecendo a recuperação do paciente.

A expectativa é que o biovidro seja comercializado nos próximos anos.

Os avanços tecnológicos envolvendo os implantes dentários simplificam as etapas do procedimento e trazem resultados ainda melhores nos tratamentos. Para o paciente, é mais conforto, reabilitação mais rápida e qualidade de vida.

Gostou de conhecer os novos materiais e técnicas que estão sendo desenvolvidos na implantodontia? Se tiver alguma dúvida, deixe seu comentário!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *